Confiança

Em RH o tema da moda é o apagão de mão de obra e a dificuldade em se contratar alguém para trabalhar.

Penso que a dificuldade vai um pouco além, será que a pessoa que foi contratada para se trabalhar está mesmo trabalhando?

Eu me lembro que na década de 90, eu ia por vontade própria até a empresa onde eu trabalhava em pleno domingo, e fiz isto muitas vezes, pois , apesar de eu não ser remunerada por isso, eu tinha um prazer em fechar as vagas que estavam em aberto, e aos domingos era tranqüilo para olhar as pilhas de currículos, em papel, em armários imensos, que demandavam um tempo que eu não encontrava na semana para fazer.

Realizar meu trabalho em si era algo imensamente recompensador, o gerente de RH me passava os trabalhos a serem feitos, e realizá-los era um tremendo aprendizado.

O que acontece hoje nas empresas, que mesmo com todas as oportunidades de realizações, os funcionários ficam divagando em MSN, Facebook, Orkut e N redes sociais?

O prazer está fora da empresa, ou às vezes fora de si mesmo. O prazer está na ilusão de que ao estarmos conectados, estamos livres, no espaço virtual. Ou as vezes a auto estima é tão baixa que a necessidade de ser reconhecido pelos amigos é maior do que os resultados obtidos no trabalho.

Muitas vezes os profissionais navegam nas redes sociais de forma tão automática que somente com o monitoramento da rede de informática é possível se dar conta de quantas horas se perderam no dia.

Igual salgadinho em festa os garçons passam com a bandeja e pegamos um, depois outro, e outro mais. E a sensação é que não se comeu nada não é mesmo? No entanto facilmente se ingere 4 mil calorias sem se dar conta.

Eu já vi casos que a pessoa acreditava ter ficado poucos minutos navegando, e mesmo com o monitoramento mostrando que se ficou 3h seguidas a pessoa ainda tem dúvidas que isto tenha sido possível.

As empresas estão perdendo muito dinheiro com este descomprometimento dos funcionários. E as lideranças presentes e envolvidas, conseguem trocar os funcionários e trazer profissionais verdadeiramente comprometidas para dentro da empresa.
Mas estes profissionais, perderam tempo navegando em redes sociais, e mesmo que eles troquem de empresa, este tempo que perderam não irão recuperar jamais.

Dinheiro se recupera, o tempo que passou… Passou não voltará nunca mais.

E você? Como tem usado o tempo que navega na internet? Tem usado para seu crescimento pessoal e profissional? Ou você gasta o tempo olhando para fora de você?

Sua empresa pode confiar em você?